Jabuti 2019: finalistas em Biografia, Documentário e Reportagem

Detalhe da capa de Borboletas e Lobisomens, de Hugo Studart (crédito: Divulgação)

Olá, caríssimos leitores! Continuamos com nossas listas dos finalistas do Prêmio Jabuti 2019. 

Nós já falamos dos finalistas de Histórias em Quadrinhos e de Romance, e agora é vez da categoria Biografia, Documentário e Reportagem. 

As obras selecionadas trazem biografias de personalidades da televisão, de figuras históricas e grandes escritores brasileiros.

Também temos grandes trabalhos de pesquisa e reportagem sobre o crime organizado no Brasil, a guerrilha do Araguaia, e muito mais.

Vamos aos finalistas:

(a disponibilidade e o preço dos livros podem sofrer alterações conforme o tempo. Os livros estão organizados por ordem alfabética)


A guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil

Prêmio Jabuti Reportagem: A Guerra - A Ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil

O crime organizado é uma preocupação para autoridades e para a população no Brasil há décadas. 

Bruno Paes Manso e Camila Nunes Dias fizeram uma pesquisa intensa para falar sobre as complexidades do sistema prisional.

A guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil traz relatos de detentos que mostram os detalhes do funcionamento das organizações criminosas no país. 

O livro começa com a guerra entre facções, que explodiu em 2016, deixando centenas de mortos em presídios em Amazonas, Rondônia, Roraima e outros estados.

O conflito foi motivado pela expansão do PCC pelos país e na resistência de grupos locais, que se aliaram ao Comando Vermelho.

Bruno Paes Manso é jornalista e doutor em ciência política, e também publicou O Homem Xno qual ele realizou entrevista com mais de 20 assassinos para traçar um perfil desses criminosos.

Já Camila Nunes é professora da Universidade Federal do ABC e autora de PCC: Hegemonia nas prisões e monopólio da violência.

A guerra: a ascensão do PCC e o mundo do crime no Brasil


À Sombra dos Viadutos em Flor

Cadão Volpato é um jornalista e músico que fez parte da banda Fellini, no início dos anos 80. 

O grupo não durou muito tempo, mas é cultuado pela qualidade de suas composições, que chegaram a ser gravadas por nomes como Stela Campos e Chico Science.

Em À Sombra dos Viadutos em Flor, Volpato relembra a sua juventude, com o início da banda em 1983/84.

O título da obra vem dos viadutos da Avenida Nove de Julho, em São Paulo, próximo do apartamento que ele dividiu com seus amigos na época da banda. 

O livro narra a trajetória de uma juventude que estava saindo da ditadura militar e começava a viver tempos mais democráticos. 

Além disso, À Sombra dos Viadutos em Flor é o relato de uma geração de bandas que vieram antes da explosão do gênero no Brasil durantes os anos 80. 

À sombra dos viadutos em flor


Borboletas e Lobisomens

Durante a ditadura militar brasileira, um grupo de militantes do Partido Comunista do Brasil (PCdoB) montou uma guerrilha na região do rio Araguaia, entre Goiás, Pará e Maranhão. 

Conhecida como guerrilha do Araguaia, o grupo era composto por cerca de 80 pessoas, a maioria delas mortas em combate ou executadas após serem presas pelo Exército. 

Os fatos sobre a guerrilha só começaram a aparecer 20 anos depos, devido à censura do regime militar, e até hoje um grupo de trabalho tenta localizar e identificar os restos mortais dos desaparecidos políticos.

Borboletas e Lobisomens, escrito pelo jornalista e historiador Hugo Studart, é resultado de uma pesquisa com documentos históricos, entrevistas e participação nos grupos de buscas.

Em um dos pontos mais polêmicos do livro, o autor afirma que sete guerrilheiros teriam desertado e feito um acordo com os militares, ganhando novas identidades. 

Studart também escreveu A Lei da Selva, que traz a versão do conflito do Araguaia através do depoimento de militares. 

Borboletas e Lobisomens: Vidas, Sonhos e Mortes dos Guerrilheiros do Araguaia

  • Autor: Hugo Studart 
  • Editora: Francisco Alves 
  • Páginas: 660
  • Preço: R$ 70 (capa comum)

Carolina: uma biografia

Prêmio Jabuti Biografia: Carolina

Carolina de Jesus foi uma escritora mineira que se tornou conhecida nos anos 1960, ao publicar Quarto de Despejo, onde ela relata sua vida na favela do Canindé, em São Paulo (SP).

A autora foi uma das primeiras escritoras negras do país e teve uma vida complexa, que agora é contado por Tom Farias em Carolina: uma biografia

A obra do jornalista e crítico literário é considerada uma das mais completas biografias sobre a escritora.

Farias relata a infância pobre de Carolina em Sacramento (Minas Gerais) e sua mudança para São Paulo, onde sustentava três filhos com o trabalho de catadora de papéis. 

A biografia também narra o período após o sucesso de Quarto de Despejo, que teve sua primeira edição esgotada em uma semana e foi traduzido para 14 idiomas. 

Além disso, o livro conta sobre o declínio da autora, graças ao desinteresse do mercado editorial, e o relacionamento de Carolina com o movimento negro. 

Entre outras obras, Tom Farias também publicou José do Patrocínio: a pena da Abolição, que conta a trajetória do escritor e jornalista negro, foi ativista dos movimentos abolicionista e republicano.

Carolina – uma biografia


Jorge Amado: uma biografia 

Continuamos nossa lista de finalista do prêmio Jabuti 2019 com a biografia de outro escritor.

Jorge Amado é um dos escritores brasileiros mais conhecidos de todos os tempos, autor de obras como Tieta do Agreste, Dona Flor e Seus Dois Maridos e Capitães de Areia

O livro de Joselia é a mais completa e atualizada biografia (segundo a editora Todavia) do escritor nascido em Itabuna, na Bahia. 

Para escrever sua obra, a autora fez uma pesquisa de sete anos, tendo acesso a documentos inéditos da família e cartas de amigos, parentes, e outros escritores.

A biografia narra importantes pontos da vida de Jorge Amado, como a militância no Partido Comunista e seu sucesso comercial, alcançado com Gabriela, Cravo e Canela.

“A imagem dele é muitas vezes ligada a essa coisa contemplativa, à preguiça baiana. Mas não: Jorge acordava às 4 horas da manhã, e quando não estava ocupado com livros estava escrevendo cartas ou participando de reuniões políticas”, Joselia Aguiar sobre Jorge Amado: Uma Biografia

Assim como Jorge Amado, Joselia também é baiana, nascida em Salvador. Ela é mestre em História pela USP e foi curadora da Festa Literária de Paraty (Flip). 

Jorge Amado: uma biografia

O livro de Jô: uma autobiografia desautorizada – volume 2

Prêmio Jabuti Biografia: O livro de Jô - volume 2

Jô Soares é um figura que dispensa apresentações. 

Humorista, escritor e dramaturgo, ele foi apresentador de um talk show que levava seu nome durante quase 30 anos. 

Nascido em 1938 e com uma carreira no cinema, teatro e TV de cinco décadas, suas memórias dificilmente caberiam em um único livro.

Em O livro de Jô (volume 1), o humorista conta detalhes da sua infância e seu início no mundo dos espetáculos

Já no segundo volume, Jô Soares detalha sua ida para a TV Globo no final dos anos 60, após o sucesso de Família Trapo, que estreou na Record em 1967.

Na emissora carioca, o humorista estreou com Faça humor, não faça guerra, considerado revolucionário para a televisão brasileira. 

O livro, escrito com a ajuda de Matinas Suzuki Jr. ,traz histórias como o processo que sofreu durante o regime militar e a perda de seu filho Rafael.

A obra conta também como Jô decidiu se tornar entrevistador, deixando a Globo para trabalhar no SBT. 

“O primeiro volume é mais contado e o segundo, mais pessoal. Mas tudo é fruto de uma coisa só, nada foi planejado, não teve um pré-roteiro, saiu como uma corrente do inconsciente” – Jô Soares

O livro de Jô – volume 2


O Tiradentes

Agora nossa lista de finalistas do Prêmio Jabuti sai do mundo da TV e vai para a seção de história brasileira.

Lucas Figueiredo é um jornalista e escritor que foi consagrado com diversos prêmios, entre eles o Jabuti na categoria reportagem com Olho por Olho: os livros secretos da ditadura.

Agora, o autor mineiro concorre novamente ao prêmio com uma obra que aborda uma das mais importantes figuras de nossa história.

O Tiradentes nasceu do fato de que ainda não havia uma biografia moderna sobre o mártir da Inconfidência.

O objetivo do livro é recontar toda a trajetória de Joaquim José da Silva Xavier, desde seu nascimento até a Conjuração Mineira. 

Para isso, Figueiredo fez uma pesquisa de cinco anos, vasculhando documentos no Brasil, Portugal e Estados Unidos. 

A biografia desfaz alguns mitos sobre a figura de Tiradentes, mostrando como ele foi esquecido e depois resgatado pelo movimento Republicano, durante o século XIX. 

Além desta biografia, Lucas Figueiredo também escreveu sobre a exploração do ouro no Brasil Colônia, e deve publicar uma obra sobre o ex-presidente Juscelino Kubistchek.

O Tiradentes: uma biografia de Joaquim José da Silva Xavier


Paletó e eu: memórias de meu pai indígena

Prêmio Jabuti Biografia: Paletó e Eu

Os Wari’ (ou Uaris) são um povo indígena que vive no norte do país, no estado de Rondônia.

Desde 1986, a antropóloga carioca Aparecida Vilaça tem estudado e convivido com este povo, em um trabalho que rendeu diversos livros.

Paletó e eu é seu primeiro relato pessoal sobre o convívio com os indígenas, focado no relacionamento com Paletó. 

Antes chamado de Watakao’, Paletó viveu até os 85 anos, quando faleceu no interior de Rondônia.

Em seu livro, Aparecida relata o primeiro contato que teve com os indígenas, seus aprendizados e as transformações que o povo passou devido ao contato com missionários. 

A obra da antropóloga mistura momentos de humor com relatos traumáticos, compondo um quadro sensível da vida dos Wari’.

“Paletó morreu no interior de Rondônia, e eu continuei aqui, no Rio de Janeiro, tentando imaginar o seu corpo, os poucos fios de barba brancos soltos no queixo, os braços fortes. Lembro-me de cada um desses detalhes com muita nitidez e não consigo imaginar nenhuma dessas partes sem vida” – Aparecida Vilaça em artigo na revista Piauí

Paletó e eu: memórias de meu pai indígena


Povo Xambá Resiste 

Nos últimos anos, estamos presenciando um aumento da intolerância religiosa no Brasil.

Muitas vezes, essa intolerância extrapola para ataques violentos contra religiões afro-brasileiras, como umbanda e candomblé.

Infelizmente, esse cenário não é novo no nosso país.

Povo Xambá Resiste, escrito por Marileide Alves, traça o histórico de repressão às religiões de matriz africana no estado de Pernambuco. 

A obra conta a resistência do povo Xambá, que fundou seu terreiro nos anos 30 e enfrentou a criminalização durante o Estado Novo de Getúlio Vargas, entre 1937 e 1945.

A pesquisa realizada por Marileide Alves revela detalhes da luta pela liberdade religiosa, assim como a crueldade e violência empregada pelos agentes da repressão. 

Marileide Alves é jornalista e também publicou Nação Xambá: dos terreiros aos palcos.

Povo Xambá Resiste: 80 anos de repressão aos terreiros em Pernambuco

  • Autora: Marileide Alves 
  • Editora: Cepe Editora
  • Páginas: 178
  • Preço: R$ 35

Wander Piroli: uma manada de búfalos dentro do peito

Prêmio Jabuti Biografia: Wander Pirolli - uma manada de búfalos dentro do peito

O último livro da nossa lista de finalista do Prêmio Jabuti na categoria Biografia, Documentário e Reportagem vem de Minas Gerais.

Wander Piroli foi um escritor e jornalista nascido em 1931, em Belo Horizonte. Sua obra literária foi voltada principalmente aos contos, com um estilo que o fez ser comparado a Ernest Hemingway.

Entre suas principais obras, estão O Menino e o Pinto do Menino e A Mãe e o Filho da Mãe, que ganharam novas edições recentemente. 

Doze anos depois de sua morte, Piroli ganha uma biografia para jogar luz à sua obra, que acabou esquecida como a de tantos outros escritores brasileiros. 

Uma manada de búfalos dentro do peito foi escrito pelo poeta Fabrício Marques, que mergulhou em livros, arquivos e no acervo da família.

Marques também realizou mais de 50 entrevistas para fazer o perfil de seu biografado, e partilhou parte de sua pesquisa no blog Wander Piroli é o nome todo.

“Para Wander, a literatura é apenas algo que faz parte da vida. Se, em determinado momento, ele tivesse que optar entre pescar ou escrever um conto, ele optava pela pescaria, sem pensar duas vezes. E, embora ele não tivesse a menor estima pelas belas letras, quando escrevia era um artesão da palavra do mais alto nível” – Fabrício Marques sobre Wander Piroli

Wander Piroli: uma manada de búfalos dentro do peito

  • Autor: Fabrício Marques 
  • Editora: Conceito Editorial
  • Páginas: 250
  • Preço: R$ 32 (capa comum)

A cerimônia de premiação do Jabuti 2019 vai ocorrer no dia 28 de novembro, em São Paulo.

O vencedor de cada categoria leva R$ 5 mil, enquanto o escolhido para Livro do Ano ganha R$ 100 mil. 

Agora queremos ouvir sua opinião.

Entre os indicados, qual livro você leu? E qual deles você acha que merece levar o prêmio?

Comente, curta e compartilhe!

Anúncios

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.